segunda-feira, 26 de junho de 2017

COLECCIONISMO


A filatelia de temática ferroviária é bastante rica e didáctica. Aqui fica o aviso para aqueles (sobretudo jovens) que amam os comboios e a sua já secular e apaixonante História; e que, eventualmente, gostariam de começar uma colecção de selos. Temática tão interessante como o é, aliás, a odisseia dos transportes públicas.  No seu conjunto ou separada por variantes. Que todos elas são contempladas e consagradas pelos estampilhas de correio dos mais diversos países do mundo. A filatelia é, realmente, um universo que combina cultura e lazer de maneira perfeita e um bom e profícuo passatempo. Pena é que tenha sido substituído nas preferências da juventude (mas não só) pela oferta (por vezes vazia e instantânea) dos jogos de tabletes, de 'i-phones' e assimilados... Hoje a filatelia é, infelizmente, qualquer coisa de feio e de antiquado. Como é feio e fora de moda ler, gostar de ver um filme dos anos 50 do passado século, fazer palavras.cruzadas, etc. Eu confesso que tenho pena de quem está a perder tudo isso.

AS ESTÁTUAS DA PONTE VERDE


Estes grupos escultóricos enfeitam as entradas da Ponte Verde, em Vilnius, capital da República da Lituânia. Pertencem à escola dita 'do Realismo Socialista', que floresceu por todo o território da União Soviética. Foram esculpidos por artistas locais e ali colocados, em 1952, ainda no tempo em que aquele país báltico fazia parte da extinta U. R. S. S.. A Ponte Verde tem 103 metros de comprimento e une as duas margens do rio Neris, que atravessa aquela cidade do norte da Europa. Trata-se, pois, de uma obra de engenharia de modesta envergadura, mas que se tornou famosa pelas suas estátuas, que se intitulam, respectivamente (e de cima para baixo), «A Agricultura», «Indústria e Construção», «Educação Nova» e «Guardiães da Paz».

ARANHA-ESPELHO

A aranha-espelho, de seu nome científico 'Thwaitesia argentiopunctata', distingue-se pelas cores extraordinárias reflectidas pelas placas prateadas que cobrem o seu mínúsculo abdómen; que raramente excede os 3 milímetros de comprimento. Esta espécie raríssima pode encontrar-se em Singapura e na Austrália, mas também nalguns outros países do Extremo Oriente. É, porventura e de entre todos os aracnídeos, um dos exemplares mais bonitos.

domingo, 25 de junho de 2017

TURISMO EM MOÇAMBIQUE


Este velho cartaz de promoção turística foi editado e distribuído pelas autoridades competentes da então 'província ultramarina' de Moçambique. E parece-me que o público visado seria a população branca e abastada da vizinha África do Sul, o país do 'Apartheid'. Moçambique tinha (e continua a ter) atractivos de peso para chamar a si as atenções do turismo internacional. Mas para que isso resulte nos dias de hoje, o país necessita de ter uma maior estabilidade social, mais segurança e mais confiança no futuro. É tudo o que eu desejo a esta nação lusófona e ao seu povo. Que merecem a paz e a prosperidade, depois dos sofrimentos causados por uma cruel guerra colonial e por uma não menos atroz guerra civil.

COWBOY


Hopalong Cassidy foi um dos mais populares justiceiros do cinema western, sobretudo dos famosos 'serials' que se projectavam na primeira parte das chamadas sessões duplas. -Mas quem são aqueles  que -com menos de 70/75 anos de idade- ainda se lembram deste cowboy do celulóide ?

A ESCOLA DAS PRIMEIRAS LETRAS

A Escola Primária do meu tempo : interior de uma sala de aulas dos anos 40 (?) do passado século. O mestre era escutado e respeitado. Até porque se o não fosse, dispunha de meios para fazer valer a sua autoridade. Com reguadas de criar bicho, traulitadas com o ponteiro, etc. Nas paredes laterais e do fundo estão afixadas estampas com as famosas 'Lições de Salazar', o rei sem trono do país. E junto à parede para a qual os rapazes (e eventualmente raparigas) estavam virados, a modesta secretária do professor, o quadro e alguns mapas de Portugal e das colónias. Aos quais se sobrepunham, obviamente, o crucifixo e os retratos do ditador e do marechal Carmona. A vida escolar era de um cinzentismo atroz; mas, ainda assim, os cachopos aprendiam o programa. A bem ou a mal, mas aprendiam. Desse tempo, só tenho saudades da minha mocidade que, naturalmente, há muito se esvaiu...

GOLEADOR

Na Taça das Confederações, agora a decorrer na Rússia, Cristiano Ronaldo marcou 3 golos, um por cada 'match' já disputado pela selecção nacional; que acaba de arredar a sua congénere da Nova Zelândia, ao impor-lhe o severo resultado de 4-0. Não estou a gostar nada desta competição, que está a usar jogadores desgastados e que pouco têm a dar em matéria de esforço físico. Acho que toda aquela gente já deveria estar de férias, a estafar os milhões que lhes pagam. Para que cheguem frescos e com a moral em alta, dentro de pouco mais de um mês, aos respectivos campeonatos. Mas isto é, somente e apenas, a minha opinião... A foto que ilustra estas linhas é a do jornal desportivo francês «L'Équipe» do dia seguinte à derrota imposta pelo (ir)Real Madrid à Juventus. O herói da jornada não poderia deixar de ser o supracitado. Que se está a afirmar como um dos maiores goleadores da História do Futebol e a tornar-se um ídolo de dimensão universal.